#017

13:26

(por Adriana)

Mais um término. Aquele ponto final inesperado. Agora um texto de desabafo.

Ninguém é obrigado a ficar com ninguém, somos almas livres buscando evoluir. Mas por favor, seja luz, não seja treva. Seja grato pelos anos que passou ao lado dessas pessoas, não seja egoísta. E, acima de tudo, se quiser ser melhor, seja, não culpe os outros por te fazer mal, sendo que a única pessoa que faz mal a você, é você mesmo por causa de suas decisões.

Querer ser melhor para você e evoluir, isso é ótimo. Só não seja mais um idiota carente que termina e já engata com a primeira mulher que te dá bola. Não contradiga seus três términos ou seus “lances” casuais. Todos acabaram com um “preciso ficar sozinho”. Sendo que, na verdade, você nunca vai conseguir ficar sozinho. Será que é carência ou apenas prazer sexual? Primeiro você precisa se resolver com você mesmo. O mundo continua, o tempo que você precisa, se não for de forma humilde, pode não ser o tempo de quem está a sua volta. E quando você quiser conversar, ninguém mais estará ao seu lado.

A propósito, não termine com ninguém pelo Facebook. Isso é covardia. É o ego gritando e escondendo todos os sentimentos bons de evolução. Como disse, ninguém é obrigado a continuar um relacionamento que não está te fazendo bem, mas mais uma vez, não coloque a culpa em ninguém e tenha consideração pelo ser humano, independente de ser sua namorada ou não. Isso é amor. O que você faz, é covardia.

Tudo começou como uma amizade verdadeira, mas depois só ficam os rótulos. Parece que “ex” não pode ser amiga, não pode ser companhia, não pode ser nada. Se as pessoas soubessem que terminariam em mais um rótulo imutável, talvez prefeririam não ter começado nada. Às vezes a gente doa muito mais do que tem e nunca vai ser retribuído. Aliás, às vezes a gente se doa mesmo doída, uma última vez. E tem gente que não abre mão ou não pode ceder um minuto do seu tempo para o próximo. Mais uma vez, egoísmo.

E pode demorar, mas a gente percebe, no fim, que tudo isso serve para, definitivamente, aprendermos a nos amar. Sozinhas. Sozinhos. Serve pra gente olhar pra trás e ver que nos doamos demais para as pessoas e esquecemos de nós mesmos. Serve para nos encontrarmos. Serve para sermos mais fortes. Obrigada.

Agradeço uma última vez.

Renasci. Como uma fênix.

A vida tira algumas coisas da gente pra que só assim a gente consiga abraçar outras. Agora, eu sigo sozinha ou com algum amigo. Tanto faz. Pois o que eu estou trazendo de volta foi a essência que eu perdi no meio do caos compartilhado em um relacionamento ruim. Descobri que posso fugir do caos da minha família com a minha evolução e com meus amigos. Amigos que ajudariam qualquer ser humano, pois sei que neles existe amor. Do mais puro e verdadeiro. A vida me mostrou, mais uma vez, que quando se constrói amor, independente do rótulo, continuamos nos importando. Sou grata por cada um deles, grata por me ajudarem a evoluir. E por não soltarem minha mão quando achei que todos soltariam. Grata por ter sentido a forma mais pura de amor e fé nesses últimos meses ao lado deles. E ao lado de anônimos e estranhos, que passaram uma ou duas vezes pela minha vida, mas que recarregaram minha energia. Por fim, grata por ver que em tudo isso que está me fazendo bem, não está o seu egoísmo e suas energias negativas sugando tudo o que há de bom.

Grata por ter me encontrado, por ter me (re)descoberto.

Grata por não ter desistido de mim.

You Might Also Like

0 comentários

Posts Populares

COLETIVE-SE